Edifícios inteligentes e a Internet das Coisas

edifícios inteligentes e a Internet das coisas

Os edifícios inteligentes podem se conectar com uma diversidade de sistemas integrados e partilhar informações. O conceito está relacionado a interação das coisas, como se comunicam entre si e com os utilizadores. Isto é possível devido a sensores inteligentes e ‘softwares’, capazes de coletar e transmitir dados via internet. O mapeamento do ambiente permite transformar essas informações em algo relevante para dos condóminos.

A crescente importância dada aos sistemas de segurança integrados e o aumento nos investimentos em projetos de construção eficientes são responsáveis pela nova geração de condomínios, designados como edifícios inteligentes. A tecnologia utilizada é a internet das coisas (IoT), esta tecnologia permite construir prédios inteligentes. Os principais benefícios são a redução de custos, segurança e a sustentabilidade.

Afinal o que é a Internet das Coisas (Internet of Things)

Imagine uma tecnologia que consegue conectar dispositivos eletrónicos à internet e fá-lo a partir da sua identificação remota. Assim, quando um aparelho se conecta, ele é identificado e passa a interagir com outros equipamentos e tomando ações.

De acordo com o levantamento da Business Intelligence (BI), cada vez mais a internet será um bem necessário, estima-se que até 2020 existirão 34 bilhões de dispositivos em todo o mundo, conectados à internet.

Internet das Coisas e a sua aplicação

Saiba que alguns dos seus hábitos, possuem os dias contados. Imagine antes de chegar à casa, acender as luzes de determinados ambientes, regular a temperatura do ar condicionado, abrir portas, janelas e até mesmo persianas. De forma a deixar tudo de acordo com as preferências do utilizador, e para que isso aconteça basta gerir as aplicações através do seu tablet ou telemóvel.

edifício inteligente e a Internet das coisas 1

Internet das Coisas (IoT) no edifício

O condomínio tem muito a ganhar com a “internet das coisas”, na medida em que pode colmatar algumas situações que ocorrem devido à falta de planeamento ou, porque algo não foi efetuado no tempo correto. Ou seja, para além de evitar as falhas humanas, também torna-se um excelente aliado relativamente ao avanço da tecnologia de portaria virtual e até mesmo no funcionamento de elevadores, geradores de energia, bombas de piscina.

Esta tecnologia pode revolucionar realmente a gestão do condomínio. É um facilitador no que respeita os serviços colaborativos, como, por exemplo, a prestação de serviços de limpeza, portaria, monitorização e manutenção.

Assim, os equipamentos e serviços são capazes interagir em proveito da preservação do meio ambiente. Por este motivo, futuramente, a integração destes sistemas, deixará de ser uma opção e passará a incorporar os prédios desde o planeamento da sua conceção e tornar-se-á obrigatória.

No futuro, a própria inteligência artificial será responsável por tomar as decisões, através do modelo de auto gestão. Será uma vantagem para o setor de manutenção, quando existir monitorização autónoma para informar problemas na sua operação.

O condomínio inteligente permite que a inteligência incorporada aos objetos conectados a internet realize controlos e monitorização remotamente.

A IoT é a evolução para o acesso à internet. As pessoas estão conectadas com a internet, mas a sua natural evolução é conectar as coisas, como frigoríficos, micro-ondas, máquinas de café, ar-condicionado, lâmpadas, etc. Podemos agora controlar os equipamentos. As “coisas” produzem dados que podem ser recolhidos e analisados em tempo real, por sistemas de gestão em nuvem.

 

O que pode ser controlado?

Listamos aos itens do que os edifícios inteligentes podem fazer através da loT.

  • O controlo inteligente de iluminação e consumo;
  • Controlar a entrada de forma automatizada;
  • Jardim pode ser monitorizado por um sensor de humidade;
  • Câmaras e softwares específicos, é possível fazer uma análise no ambiente;
  • Sensores para verificar o nível da caixa de água e emitir alertas ao administrador;
  • Anomalias no tempo de abertura e fecho dos portões, o sistema pode emitir um alerta ao administrado;
  • Monitorizar as garagens dos prédios, em caso de chuvas intensas e ocorrência de inundações, os sensores são capazes de avisar previamente o condómino se o carro dele está a correr algum risco;
  • Sensores no telhado poderão dar o alerta ao administrador da necessidade de limpeza nas calhas;
  • Se o elevador parar é possível enviar um alerta diretamente para a empresa responsável pela manutenção.
  • Através de sensores e software é possível saber se há algum vazamento oculto de água ou gás no condomínio.

A automação do condomínio é uma realidade, contudo, a internet das coisas veio para revolucionar e sobretudo para contribuir amplamente para a tomada de decisão e prevenção das diversas ocorrências no condomínio. Confira o artigo Videovigilância no Condomínio.

Por favor, siga-nos ou deixe seu like:
 

Deixe seu comentário